Quando alguém que vive nas veredas do mal se arrepende e se converte ao bem, é como alguém que estava morto e volta a viver, alguém que estava perdido e foi encontrado. É disto que fala a citação acima.
É a experiência do filho pródigo que volta à casa do pai e é recebido com festa.
É motivo de grande alegria, uma conversão do coração. É uma grande alegria para quem se converteu, e também para quem esperou, e desejou, e rezou, por esta conversão.
Jesus nos ensinou muito a respeito da conversão. De fato, Ele diz, ainda no capítulo 15 de Lucas, que há mais alegria no céu por um pecador que se converte do que por 99 justos que não precisam de conversão. (Cf. Lc 15,7)
Portanto, façamos festa por toda conversão do coração: tanto a nossa quanto a dos outros.

Apolonio Carvalho Nascimento