Nos primórdios da Igreja o distintivo dos cristãos era o amor recíproco. De fato, dizia-se deles: “Vejam como se amam e estão prontos a dar a vida uns pelos outros.”
A humanidade está vivendo um momento em que podemos pôr em prática, mais do que nunca, essa norma de vida dos cristãos, independentemente de nosso credo religioso.
A dor nos irmana e nos torna mais humanos. E hoje, nós temos um sofrimento comum a todos: a pandemia do coronavírus. Em todos os pontos do planeta estamos sob a mesma ameaça.
A insegurança e o instinto de preservação podem nos tornar egoístas e individualistas. Porém, o que estamos vendo é a disseminação global da solidariedade, da ajuda e do apoio recíprocos, da disponibilidade em ajudar, do amor fraterno que se revela em cada ponto da terra.
É assim que venceremos essa ameaça, unidos. Apoiando concretamente quem se encontra em dificuldade.

Apolonio Carvalho Nascimento