Acho que para aprimorar a oração seja necessário superar a dualidade que existe entre alguém que fala e alguém que escuta, entre um que pede e outro do qual se espera uma resposta.
O aprimoramento da oração se dá quando alcançamos a transcendência e percebemos que Deus está também em nós mesmos.
Uma das muitas coisas atribuídas a Madre Teresa de Calcutá é uma resposta a um jornalista que lhe pergunta: O que a senhora diz a Deus em suas orações? “Nada, só escuto”. E o que Ele responde? “Nada, só escuta”.
Creio que aqui está tudo. Resume todo o aprimoramento que podemos fazer em nossas orações; uma presença que vai além das palavras, dos pedidos, das súplicas, dos agradecimentos.
Deus está em mim e eu estou Nele.

Apolonio Carvalho Nascimento