Quando existe o amor recíproco, assumo, como meu, tudo aquilo que diz respeito ao outro. As suas alegrias e dores, as suas conquistas e fracassos, as suas dúvidas e angústias, assim como o seu sucesso.
A comunhão é a marca daqueles que se amam. Ela transborda e vai muito além do círculo familiar e das amizades. Chega também ao sofredor anônimo, ao indigente marginalizado e ao desconhecido que carece de ajuda.
Assumir as necessidades do irmão nos ajuda a evoluir individualmente e coletivamente, pois o amor é a característica do povo de Deus e da mais alta civilização.
Creio em uma nova humanidade que se difunde sem fazer alarde, mas que está renovando todo o tecido social. Nós somos parte dela.

Apolonio Carvalho Nascimento