Chiara “Luce” Badano, a jovem de 18 anos falecida em 1990 na cidade de Sassello (Itália), devido a um doloroso câncer, é a protetora das crianças atingidas por esta doença internadas no Hospital “Sarina Rolim Caracante”, mantido pelo GPACI (Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil), no município de Sorocaba, no interior de São Paulo. Quatrocentas crianças e adolescentes são tratados gratuitamente no Hospital GPACI, o único da região especializado em câncer infantil. A maioria pertence a famílias pobres que provêm de 47 cidades da região.
A decisão da diretoria do GPACI, liderada pelo professor e jornalista Carlos Camargo Costa e pela advogada Maria Lúcia Neiva de Lima, acatando sugestão do diretor clínico do hospital, o médico Fábio Bernardes, de dedicar a Chiara `Luce´ Badano a capela que seria construída em suas dependências foi comunicada ao arcebispo metropolitano de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, no final de setembro de 2010.
Em 22 de dezembro de 2011, a ideia se tornou realidade. Depois da tradicional missa de Natal, animada pelo coro salesiano e pelos jovens dos Focolares, do qual Chiara Luce fazia parte, na presença da direção do hospital, da equipe médica, de voluntários e parentes das crianças, o arcebispo inaugurou e consagrou a pequena capela dedicada à jovem bem-aventurada.
“Chiara Luce foi um exemplo de como é possível viver na alegria momentos tão difíceis que levam à passagem definitiva rumo ao Pai”, afirmou o arcebispo durante a homilia. Referindo-se aos pais e às crianças que visitarão a capela, Dom Eduardo expressou uma grande esperança: “Não sabemos aquilo que o Senhor pode operar na alma de uma pessoa que está sofrendo. É capaz de realizar milagres, como fez na alma desta jovem. E quem sabe acontecerá aqui o segundo milagre que fará com que Chiara Luce seja reconhecida santa, mesmo se para nós ela já é.”