Partir do individual e chegar ao coletivo, isto é, ter atitudes pacíficas no próprio agir e trabalhar para que essa nova mentalidade de paz seja assimilada por mais pessoas.
Procurar intermediar as relações conflituosas colocando-se como um elo de amor entre as pessoas; não tomar partido segundo as emoções, mas permanecer do lado da verdade e da justiça, sem deixar faltar a caridade.
Participar de ações em favor da paz; ser um instrumento da paz que Deus quer para o mundo; orar pela paz.
Não esperar que Deus faça um milagre como um toque de mágica, mas fazer a própria parte e viver o que pedimos em oração.
Viver a paz: deixá-la como uma dádiva a todos os que passam ao nosso lado.

Apolonio Carvalho Nascimento