Há alguns anos atrás assisti a uma palestra sobre a paz e um dos palestrantes deu uma definição de diálogo da qual gostei muito. Ele disse: “O diálogo é mais do que a tolerância e menos do que a comunhão.”
A tolerância é quando conseguimos conviver com a diferença, mas não nos confrontamos diretamente com ela.
O diálogo é quando conseguimos aceitar, escutar, respeitar e entender o outro em sua diferença, além de comunicar a nossa opinião com amor e desapego. É quando existe um enriquecimento recíproco.
A comunhão é um passo a mais. Apesar das diferenças, o diálogo é constante e existe a unidade. Somos dois ou mais, mas somos um. O consenso é maior e mais importante que as diferenças.
Comunicar a própria ideia é uma oferta de amor, mostrar outra opção é um dom gratuito, dar um esclarecimento é preservar a unidade.
Devemos ser partidários somente da unidade e assim, saber dialogar com todos.

Apolonio Carvalho Nascimento