20150309-a«Em tempos de ódio e de medo, agradeço a Deus que nos fez conhecer uma espiritualidade como a de Chiara Lubich, capaz de fazer com que a humanidade sinta o sabor da paz e a verdadeira alegria da unidade. Aqui em Loppiano estamos experimentando uma antecipação de como será a vida no reino de Deus».

São palavras de uma das seis estudantes muçulmanas iranianas que estão passando um mês em Loppiano, participando da vida da Mariápolis 24 horas por dia. «Uma experiência nova para todos nós – afirma Rita Moussallem, corresponsável, com Roberto Catalano, pelo Centro do Diálogo inter-religioso dos Focolares –, um sinal profético de esperança que nos mostra que é o amor que vence».

As estudantes provêm do seminário feminino Jami’at al-Zahra, da cidade de Qum (Irã), a cerca de 200 km da capital. Trata-se de um centro acadêmico de referência para o Islã xiita e é o maior do mundo, com cerca de 6000 estudantes, das quais 1000 provêm de outros países.

Pela presença de importantes santuários, Qum é uma das cidades santas xiitas, meta de dezenas de milhares de peregrinos todos os anos, e sede de numerosas universidades. Calcula-se a presença de cerca de 100 mil estudantes.

Esta visita dá prosseguimento ao relacionamento fraterno e de diálogo iniciado há vários anos entre o Centro do Diálogo inter-religioso dos Focolares e o Dr. Mohammad Ali Shomali, docente na seção feminina do seminário de Qum, fundador e diretor do Instituto Internacional de Estudos Islâmicos (sempre em Qum), além de membro de conselhos de várias instituições acadêmicas.

Atualmente ele reside em Londres e dirige o Centro Islâmico da Grã Bretanha. «Em abril passado fui a Qum, com alguns focolarinos, a convite do Dr. Shomali – explica Roberto Catalano – para visitar alguns institutos universitários e aprofundar o conhecimento recíproco. Foi naquela ocasião que começou a concretizar-se a possibilidade que um grupo de estudantes pudesse fazer a experiência da espiritualidade da unidade».

O Dr. Shomali, com sua esposa e as estudantes, visitaram as sedes das várias escolas e ambientes de trabalho de Loppiano, conheceram os moradores e suas experiências, e assim mergulharam na vida e nas atividades da Mariápolis. De relevo o encontro do Dr. Shomali com os professores e estudantes do Instituto Universitário Sophia. Referindo-se à expressão que dá nome ao Instituto, o professor evidenciou que o conceito de sabedoria significa muito mais do que conhecimento: «Podemos escutar palavras de conhecimento de muita gente, mas a qualidade da sabedoria pode vir somente de Deus».

As estudantes prosseguem com a experiência, aprofundando a espiritualidade da unidade e os seus aspectos concretos.