O primeiro impulso é geralmente emocional, depois entra em jogo a razão e equilibra o nosso agir. Quando estou muito eufórico, com raiva ou triste, procuro evitar tomar qualquer decisão. Nesses momentos busco a ponderação da razão, o exemplo de outras pessoas e acima de tudo a ajuda da oração. Não é somente a pressa que è inimiga da perfeição, a precipitação é ainda mais danosa que ela. O elo entre a emoção e a razão deve ser o amor concreto que inspira segurança.
Apolonio Carvalho