Assim como o corpo não pode viver sem o sangue que nele circula e leva vida a todas as células, uma comunidade, de qualquer natureza, não sobrevive sem o amor que a torna viva e operante, e que atrai a presença de Deus entre os seus membros.
O amor é como o sangue que leva vida a todos os corações e os faz bater em uníssono, fazendo de todos uma só coisa.
A responsabilidade é de todos e de cada um. Todos são chamados a fazer circular esse amor, para que a comunidade cresça.
Essa é a dinâmica do Paraíso, sob a graça em plenitude da presença de Deus. E assim pode ser em nossas comunidades, onde o amor mútuo faz crescer a presença de Deus entre nós.

Apolonio Carvalho Nascimento