Posso fazer o bem no cotidiano.
Orar, difundir notícias boas, valorizar as qualidades das pessoas, dar atenção a quem está ao meu lado, incentivar boas iniciativas, enfim, posso me unir à força do bem.
Faço o bem quando sou paciente, tolerante, pacífico; quando não julgo e não discrimino; quando tenho a consciência de que meus atos me interligam a todas as pessoas. O simples gesto de jogar um pedaço de papel no lixo desencadeia o bem ao meio ambiente, às pessoas que frequentam aquele lugar, aos profissionais da limpeza, aos catadores, à indústria de reciclagem. E tudo volta para mim de forma direta ou indireta.
Além disso, o bem que faço, eu o reencontro em Deus.

Apolonio Carvalho Nascimento