Guardar ressentimentos é como manter uma ferida aberta. É alimentar algo que nos faz sofrer.
Talvez façamos isso para demonstrar o quanto o outro nos feriu. Ou para manter vivo em nós o sentimento de vingança.
De todos os modos, é uma ferida que não cicatriza.
Quando há o arrependimento e um pedido de perdão por parte da outra pessoa, isso traz um certo alívio à dor, mas a única coisa que realmente a elimina é o nosso perdão.
Se é assim, vale a pena perdoar antes mesmo que o outro se arrependa; perdoar dentro do nosso coração, perdoar setenta vezes sete, perdoar sempre.
Os ressentimentos apagam a chama do amor dentro de nós, enquanto o perdão a reacende e a faz crescer, aquecendo o nosso coração e o coração de quem está ao nosso lado.

Apolonio Carvalho Nascimento