O bispo não reúne o povo ao redor de sua própria pessoa ou de suas ideias, mas ao redor de Cristo, foi o que afirmou o Papa Francisco ao encontrar os Bispos Amigos dos Focolares. O carisma da unidade próprio do Movimento – disse o Papa – “é fortemente ancorado à Eucaristia, o que confere-lhe o seu caráter cristão e eclesial”.

“Sem a Eucaristia a unidade perderia o seu polo de atração divina e se reduziria a um sentimento e a uma dinâmica unicamente humana, psicológica, sociológica. A Eucaristia, ao contrário, garante que Cristo esteja no centro, e que seja o seu Espírito, o Espírito Santo que mova os nossos passos e as nossas iniciativas de encontro e de comunhão”.

O serviço fundamental dos bispos – acrescentou o Papa – é o de reunir “as comunidades ao redor da Eucaristia, à dúplice mesa da Palavra e do Pão de vida”.

“O bispo é princípio de unidade na Igreja, mas isto não acontece sem a Eucaristia: o bispo não reúne o povo ao redor da sua própria pessoa, ou de suas ideias, mas ao redor de Cristo presente na sua Palavra e no Sacramento do seu Corpo e Sangue”.

“Dessa forma, conformado à Cristo – afirmou – o bispo torna-se Evangelho vivo, Pão repartido para a vida de muitos com a sua pregação e o seu testemunho. Quem nutre-se com fé de Cristo Pão vivo é impulsionado pelo seu amor a dar a vida pelos irmãos, a sair, ir ao encontro de quem é marginalizado e desprezado”.

20150304VescoviAmiciFocolarEm seguida o Papa agradeceu, de modo especial, aos bispos vindos “das terras ensanguentadas da Síria e do Iraque, como também da Ucrânia”:

“No sofrimento que estais vivendo com o vosso povo, experimentais a força que vem de Jesus Eucaristia, força de ir adiante unidos na fé e na esperança. Na celebração cotidiana da Missa estamos unidos a vós, oramos por vós oferecendo o Sacrifício de Cristo; e dali tomam força e significado também as inúmeras iniciativas de solidariedade em favor das vossas Igrejas”.

Papa Francisco, encorajou, enfim, os bispos amigos dos Focolares a levarem adiante o empenho “em favor do caminho ecumênico e do diálogo inter-religioso” e agradeceu-lhes pela contribuição dada “a uma maior comunhão entre os vários movimentos eclesiais”.

 

(da Rádio Vaticana)