Acreditando no diálogo e na convivência fraterna, membros de diferentes religiões e crenças se reuniram na igreja católica ucraniana da Imaculada Conceição, em São Paulo, nesse domingo (20/03), onde pediram juntos pela paz na Ucrânia.

A paróquia da Imaculada Conceição, na zona leste de São Paulo, reúne uma comunidade de descendentes ucranianos, onde preserva o rito bizantino, de origem greco-católica, o idioma, a cultura e as tradições ucranianas. 

“O motivo de estarmos aqui é demonstrar nosso apoio ao povo ucraniano e declarar nossa posição contra a guerra que se alastra na Ucrânia”, ressaltou Ana Maria Fortes, membro do Movimento dos Focolares e da Família Abraâmica. 

Estavam presentes membros da Família Abraâmica, organização formada por homens e mulheres católicas, judeus e muçulmanos, e ainda representantes da comunidade nipo-brasileira que entregaram mais de mil tsuru como símbolo de solidariedade, afeto e pedido de paz para a Ucrânia

Representantes da cultura nipo-brasileira levaram mil tsurus como um símbolo de pedido de paz para a Ucrânia.
Crédito: Tsuru, a Esperança.

“A simbologia mais forte, e que fez o tsuru ser conhecido mundialmente, é exatamente da paz mundial, devido a história da menina Sadako Sassaki, que sofreu as consequências da Bomba de Hiroshima”, explica Cristina Toshie Norimatsu, do grupo Tsuru, a esperança

Padre Josafat Vozivoda agradeceu as orações, manifestações e apoio das diferentes religiões. No Brasil, vivem cerca de 600 mil ucranianos e seus descendentes, sendo que cerca de 10 mil estão no estado de São Paulo. Vozivoda afirmou que a comunidade se esforça para que todos se sintam acolhidos e tem recebido recentemente imigrantes e refugiados ucranianos. 

“A realização da fraternidade entre as pessoas requer a difusão da ideia de respeito e valorização do ser humano. Independentemente de sua visão do mundo e da filosofia de vida, todo ser humano é, inerentemente, digno de respeito”, disse ainda Ana Fortes. 

Ana Fortes, membro dos Focolares, leu uma mensagem em nome da Família Abraâmica.
Crédito: Nicole Melhado / Movimento dos Focolares

Os membros da Família Abraâmica acreditam que é imprescindível a construção de diálogo, de ambientes de convivência pacífica, a fim de buscar soluções para as desavenças e os desencontros, para que, assim, seja respeitada a obra divina, que é a dignidade humana e o seu direito de viver pacificamente.

“Também condenamos qualquer ação violenta no mundo e convidamos os envolvidos nos conflitos a procurar soluções pacíficas, por meio do diálogo e da diplomacia”, reforçaram em sua mensagem. 

Sobre a Família Abraâmica

O grupo Família Abraâmica é uma organização inter-religiosa que reúne homens e mulheres católicos, judeus e muçulmanos que se encontram mensalmente, desde 2016. Os encontros têm conversas sobre suas tradições culturais e religiosas, o que envolve os livros sagrados: Torá, Bíblia e Alcorão. Nos mais de 50 encontros realizados até agora, foram abordados diversos assuntos, não somente relacionados às religiões, mas também aos problemas do mundo atual.

Grupo da Família Abraâmica pediu pela paz na Ucrânia durante celebração.
Crédito: Família Abraâmica

“É um encontro entre pessoas, que se tornaram amigas, e agora se chamam de irmãos. Esses encontros nos levam a refletir sobre quem somos, para que estamos aqui e por que devemos respeito um ao outro. Proporcionam decisões e ações conjuntas e isso nos fortalece. Promovem a solidariedade, semeiam o amor e a paz”, explica Roberto Fortes.

Por Nicole Melhado.