Tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber, estava nu e me vestistes, enfermo e me visitastes, no cárcere e fostes me ver, era peregrino e me acolhestes. (Cf. Mt 25,35-40)
Quando reconhecemos o semblante do próprio Jesus nas pessoas que estão no sofrimento, o impulso de ajudá-las vai além das nossas limitações e nos tornamos capazes de realizar todas as obras de misericórdia contidas na citação de Mateus.
Será sobre elas que seremos interrogados quando nos encontraremos face a face com Jesus.
“Ele, como um bom mestre, já nos antecipou as perguntas do nosso exame final.” (Chiara Lubich)
Ser sensível ao sofrimento dos outros é ter um coração compassivo e misericordioso, que se assemelha ao coração de Jesus. Por isso, quando estivermos diante Dele, seremos reconhecidos como seus irmãos, como benditos e bem-aventurados.

Apolonio Carvalho Nascimento