Sociedade | Humanidade Nova

O Movimento Humanidade Nova é uma ramificação e é também a expressão social do Movimento dos Focolares. Nasceu em 1968, com a proposta de colocar em prática as palavras do Evangelho nos mais variados âmbitos sociais, culturais, econômicos e políticos, para dar respostas concretas aos desafios da sociedade contemporânea. 

Fazem parte de Humanidade Nova pessoas de todas as crenças e condições que desenvolvem as mais variadas atividades profissionais. Nas palavras de Chiara Lubich, os integrantes do Movimento estão empenhados em “dar uma alma cristã à sociedade contemporânea, contribuindo assim para a renovação dos homens e das estruturas”.*

Por isso, ainda segundo Chiara, “o Movimento Humanidade Nova não se divide tanto por categorias, mas de preferência em diferentes ‘mundos’: o mundo da arte, da saúde, etc. São mundos para os quais convergem as pessoas que trabalham cotidianamente lado a lado: médicos, enfermeiros e doentes para o mundo da saúde; estudantes, professores, funcionários e pais, para o mundo da educação, e assim por diante”*. 

A consciência de que o Evangelho vivido sob a luz da espiritualidade coletiva, proposta por Chiara Lubich, pode dar respostas aos desafios sociais de qualquer lugar e tempo, interpela homens e mulheres de boa vontade a enfrentar com perspicácia e competência os problemas da sociedade de hoje, sanar as chagas e evidenciar as potencialidades de indivíduos e comunidade. 

* De um discurso de Chiara Lubich, em 1983, em um evento com 15 mil pessoas de todo o mundo quando apresentou o Movimento Humanidade Nova ao papa São João Paulo II.