Submetendo-se ao sofrimento da cruz, Jesus chegou ao extremo do amor. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos. Não só dá a vida, mas o faz com o sofrimento mais atroz e a morte mais infame.
O seu amor foi tão extremo que teve a força da ressurreição.
Nós podemos imitá-lo, nas devidas proporções, transformando nossas pequenas ou grandes dores em amor. Continuando a amar, mesmo sob o peso da cruz.
Esse é o maior sacrifício por amor a nossos irmãos e irmãs.
Essa é a alquimia divina que Cristo tornou possível realizar pelo ser humano: transformar a dor em amor.

Apolonio Carvalho Nascimento