Além das fronteiras geopolíticas, criadas por acordos diplomáticos ou por conquistas violentas, existem muitas outras fronteiras entre nós e os outros.
O único modo de ultrapassá-las é através do amor. Qualquer outro tipo de acordo está fadado ao fracasso, quando não aumenta a separação em vez de ajudar a superá-la.
As fronteiras entre nós são muitas: a riqueza e a pobreza, as ideias e opiniões diferentes, as profissões ou cargos ocupados, e assim, todas as diferenças que possam existir entre nós.
Devemos ultrapassá-las imediatamente, agora, no momento presente, amando-nos uns aos outros como Jesus nos amou. Caso contrário, corremos o risco de criar ainda uma fronteira entre nós e Deus.
E o pior de tudo: que nos demos conta disso muito tarde, quando não conseguiremos mais eliminar o abismo que nós mesmos criamos. Como aconteceu na parábola do homem rico e do pobre Lázaro. (Cf. Lc 16,19-31)

Apolonio Carvalho Nascimento