Essas três palavras são realidades que coexistem.
A comunhão é colocar a minha vida em comum com os outros: o que sou e o que tenho.
A fraternidade é o sentimento de pertencimento à filiação divina, todos filhos de um único Pai. Ou, pelo menos, o de sentir-se membro da única família humana.
A solidariedade é assumir as necessidades dos outros como minhas, justamente porque quero estar em comunhão com os irmãos e irmãs que sofrem.
As três realidades devem tornar-se vida, do contrário, serão apenas conceitos vazios de significado.
Para vivê-las plenamente, posso seguir os impulsos do coração iluminados pela Palavra de Deus: permanecer no Seu amor para produzir frutos de comunhão, de fraternidade e de solidariedade.

Apolonio Carvalho Nascimento