Proposta prevê sede no Brasil e na Argentina.

Um passo importante na história do Instituto Universitário Sophia América Latina e Caribe (Sophia-ALC): assim pode ser definido o encontro entre a comissão organizadora da sede latino-americana e um grupo de conselheiros e responsáveis do Movimento dos Focolares, realizado por videoconferência no último dia 23 de junho. Em pauta, os trabalhos desenvolvidos tendo em vista a aprovação da instituição local pela Santa Sé. 

Sophia-ALC compartilha com a matriz italiana a missão de articular estudo e vida. Sua peculiaridade consiste em um projeto pedagógico que visa preparar os formandos à incidência social num contexto em que a riqueza cultural, ambiental e relacional convive com as persistentes desigualdades. 

A proposta que está sendo preparada para submissão à Santa Sé prevê que a sede latino-americana se dividirá em dois campi universitários: um na Argentina (Mariápolis Lia, O’Higgins), onde será oferecido um mestrado em Ecologia Integral e Interculturalidade; e outro no Brasil (Mariápolis Ginetta, Vargem Grande Paulista), onde haverá um curso de Pedagogia com ênfase em Humanismo Integral. O projeto também inclui um campus de extensão universitária localizado na Mariápolis El Diamante (Puebla), no México, onde já funciona a sede latino-americana do Centro Evangelii Gaudium.

A primeira oferta acadêmica de Sophia-ALC começou já neste ano. Trata-se de um curso de extensão em Liderança Comunitária realizado entre fevereiro e julho, com 78 matriculados, de nove países diferentes, com idades entre 20 e 70 anos. Devido à pandemia, o curso foi ministrado totalmente online

Representando o Conselho Geral dos Focolares, participaram da reunião Renata Simon e Francisco Canzani, conselheiros de “Sabedoria e Estudo”, além de Bernardette Ngabo e Angel Bartol, conselheiros da grande região americana. Também se conectaram Roberta Munegato e André Barros, responsáveis pela região interamericana, Griselda Imvinkelreid e José Antonio Polimeni, responsáveis do cone sul, e Marvia Vieira e Aurèlio Martins de Oliveira, responsáveis do Brasil.

O Instituto Universitário Sophia se fez presente através de seu reitor, o professor Giuseppe Argiolas, além dos 15 membros da comissão organizadora. 

Os slides apresentados na ocasião podem ser visualizados.