Em carta direcionada a todos seus membros, Movimento indica construção da fraternidade em meio às diferentes opiniões.

Diante do agravamento da pandemia de Covid-19 no Brasil, o Movimento dos Focolares convida a todos a “viver o Evangelho e dar testemunho do amor mútuo”. Na promoção de um diálogo sincero, feito com escuta atenta, coração aberto e mente desarmada, os Focolares acreditam que é possível dar um grande testemunho cristão.

“Temos diferentes opiniões e orientações sociopolíticas. Essa diversidade, exercitada como dom, pode ser uma riqueza que leva à verdade e às boas práticas, um exercício da construção da unidade na diversidade”, ressalta.

A carta, direcionada a todos os membros, destaca que esse amor precisa ser concreto tanto a nível pessoal, respeitando as recomendações sanitárias, como coletivas, buscando ajudar principalmente os mais vulneráveis.

A nível pessoal é preciso também “usar criteriosamente as redes sociais, interrompendo as correntes de fake news, desinformação, agressividade e ódio, e promovendo informações embasadas, a serviço do bem e da vida. Ter o mesmo zelo também nas conversas no ambiente da própria família, do trabalho, da comunidade, etc”.

Os responsáveis nacionais do Movimento, Juliana Fonseca, João Batista Brito, que assinam a carta juntamente com os responsáveis pelo setor de Humanidade Nova, Glória Nunes e Airam Lima Jr, destacam ainda a importância das iniciativas de caridade a luz da encíclica Fratelli tutti, do Papa Francisco.

Os Focolares também demonstraram apoio ao documento “O povo não pode pagar com a própria vida”, assinado pela CNBB e outras entidades no Pacto pela vida e pelo Brasil.

Confira o vídeo a seguir da Escola de Cidadania Ginetta Calliari sobre “O exercício da cidadania fraterna em tempo de pandemia e vacinação”: