Ser compreensivo e paciente consigo mesmo e com os outros significa saber perdoar, tanto as próprias faltas quanto as do próximo.
Um passo importante, antes de tudo, é reconhecer as próprias fragilidades. Saber que somos todos iguais, com qualidades e defeitos e que ninguém pode se colocar acima de ninguém.
A ajuda recíproca nos torna capazes de sermos mais pacientes, de aceitarmos os próprios limites e termos a humildade de aceitar a ajuda de quem também é limitado.
Juntos, podemos ir em busca da perfeição evangélica: viver o amor mútuo.

Apolonio Carvalho Nascimento